UM CONVITE AOS PAIS para o dia 14 de dezembro!

Aproxima-se a celebração do final do ano de nossas atividades em 2016

A Festa da Estrela, criada e recriada a cada ano, constitui-se hoje num momento de comunhão, onde crianças, pais, professores, amigos e funcionários da Casa Redonda se Re-unem para sagrar o Tempo que partilhamos juntos.

Experiências diárias espontaneamente vividas pelas crianças vão se transformando em aprendizagens ao longo do ano, refletindo crescimentos e amadurecimentos, nelas e em nós também.

Por que não festejarmos em Gratidão mútua o fato de conseguirmos atravessar esta jornada em meio a momentos de alegria e também dificuldades durante este ano?

Por que não celebrarmos o nosso empenho, nossa busca constante de construirmos juntos espaços que afirmem o Direito Humano de viver em Harmonia?

Este ano estamos convidando os pais a penetrarem no reconhecimento da Árvore como representação simbólica, presente nas Festas Natalinas.

Existem vários simbolismos relacionados à Árvore nas culturas humanas, onde ela é reverenciada, segundo Câmara Cascudo, com “cultos em bosques sagrados, árvores dedicadas aos deuses, entes sobrenaturais vivendo dentro de árvores, rituais para as homenagens e súplicas a esses deuses que presidem a vida da semente, fecundação, germinação, conservação e reprodução”.

Em muitas mitologias tradicionais encontramos a Árvore da Vida que, ora emerge da terra em direção ao céu e ora desce do céu em direção a terra, apenas tocando-a com a sua copa.

“Céu em cima
Céu em baixo
Estrelas em cima
Estrelas em baixo
Tudo que está em cima
Também está em baixo
Percebe-o
E rejubila-te.”
(texto alquímico)

Na mitologia norueguesa, existe a Yggdrasil, árvore cósmica, considerada o centro do universo e origem do tempo, do espaço e da vida. Seus ramos, tronco e raízes ligam o céu à terra e aos mundos subterrâneos dos deuses, gigantes e mortos.

Um simbolismo presente na cultura judaica é a Árvore de Sefirot ou Árvore das Vidas, uma árvore divina, com a raiz no céu e a copa na terra, invertida em relação à árvore humana, como emanação da luz infinita e da sabedoria.

Na cultura católica também existe o símbolo da Árvore do Paraíso, como sendo a árvore do conhecimento.

Para o educador suíço Pestalozzi (1746-1827) o homem é como a árvore. “Uma educação perfeita é simbolizada por uma árvore plantada perto de águas fertilizantes. Uma pequena semente que contém o germe da árvore, sua forma e suas propriedades colocadas no solo. A árvore inteira é uma cadeia ininterrupta de partes orgânicas, cujo plano existia na semente e na raiz”.

UM CANTO À ÁRVORE

Quisera, neste Natal, armar uma árvore
Dentro do meu coração.
E nela pendurar, em vez de presentes.
Os nomes de todos os amigos.
Os amigos de longe e de perto,
Os mais antigos e os mais recentes.
Os amigos que vejo a cada dia
E os que raramente encontro.
Os sempre lembrados
E os que, às vezes, ficam esquecidos,
O nome de todos que passaram pela minha vida
E me fizeram CRER-SER.
Quero uma árvore de raízes profundas
Para que seus nomes
Nunca sejam arrancados do meu coração.
Uma árvore de ramos extensos,
Para que todos os nomes, vindos de todas as partes
Venham juntar-se aos já existentes.
Que esta árvore tenha sombra agradável
E acolha todos os nossos companheiros do Caminho.
Para que nossa amizade seja um momento de repouso
Nas lutas da vida.
E que o significado do Natal esteja
Em cada dia do ano que está por se iniciar.